Postagens

Como empreender na Suíça

A  Suíça é um país que oferece  alta qualidade de vida e grandes oportunidades de empreendimentos. Possui um mercado flexível que disponibiliza, de forma legal e fácil adaptação, vários campos de atividades profissionais. Em decorrência da alta produtividade aliada a excelente qualidade de ponta de seus produtos, os resultados podem ser compensadores.
O primeiro passo a ser dado é o levantamento e análise de todos os aspectos jurídicos para a fundação de uma empresa:
üEstudo de mercado na área escolhida, levantando possibilidades de negócios na Suíça e posteriormente na Europa; üVisto de trabalho e/ou residência adequado ao empreendedor e sua família; üA melhor forma societária para sua futura empresa na Suíça; üEstimativa concreta e específica de custos como seguridade social e encargos trabalhistas; üAspectos fiscais: impostos e contabilidade; üRegistro de patente, marca, logotipo, etc; üCusto de investimento; üExigências locais de qualidade de produto; üPossibilidades de subsídios fiscais e …

Saída Definitiva da Receita Federal

Saída Definitiva da Receita Federal Brasileira
O brasileiro que reside no exterior está obrigado a fazer sua declaração de saída definitiva do Brasil perante a Receita Federal. Ou seja, no ano seguinte ao deixar o país, este deve declarar a receita federal brasileira sua mudança definitiva para a Suíça. Do contrário estará sujeito a uma eventual bi-tributação. Portanto para regularizar sua situação perante a receita fiscal deve entregar sua declaração de saída definitiva do Brasil. Isto vale também para os brasileiros que pretendem ficar mais de 12 meses ausentes do país e posteriormente retornar.
O Brasil faz parte do padrão global de AIA. Este foi desenvolvido com a participação da Suíça no âmbito da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e tem como principal objetivo evitar a evasão fiscal.
Baseado neste intuito de minimizar desvio e sonegação de impostos o Brasil assinou um Acordo Tributário com a Suíça em 2016. Nele consta que estes dois países podem reque…

Reconhecimento de Diploma Brasileiro na Suíça

Os cidadãos que desejam reconhecer seu diploma ou qualificação profissional na Suíça devem observar aos critérios de exigência da Federação Suíça.

De acordo com a Lei Federal Suíça de Formação Profissional(BBG) pode-se requerer a equivalência e/ou validação de diplomas ou certificados referentes a:
- diplomas de curso superior - cursos técnicos e/ou profissionalizantes
De antemão é necessário observar os seguintes critérios para que sua documentação seja avaliada:
1. similar duração da formação escolar e do curso equivalente na Suíça. 2. paralelo a experiência prática professional, o candidato deve ter cursado a parte teórica em uma escola profissionalizante reconhecida no seu país. 3. o certificado ou diploma profissional deve ser reconhecido por um instituto oficial federal. 4. a formação profissional deve existir na Suíça e estar submetida ao âmbito da Lei Federal Suíça de Formação Profissional (BBG).
Este procedimento é dividido entre profissões regulamentadas por lei e por profissões não …

Cidadania Suíça

No passado muitos cidadãos suíços emigraram para o Brasil. A história de integração destes imigrantes relata as difíceis condições de vida iniciais, como também apresenta uma excelente integração destes na sociedade brasileira.
Com a atual crise econômica e social brasileira, a Suíça vem tornando-se um país atrativo e interessante para se viver. Os descendentes de suíços se interessam cada vez mais pela possibilidade de morar e trabalhar no país helvético. A naturalização suíça pode abrir as portas para novas perspectivas de vida.
Com o intuito de expor claramente este procedimento de naturalização suíça vou dividir os brasileiros em dois grupos :
1. Brasileiros residentes fora da Suíça
2. Brasileiros residentes na Suíça

____________________________________________________

1. Brasileiros residentes fora da Suíça

O simples fato de possuir antepassados suíços não é suficiente para o requerimento da cidadania suíça. E imprescindível ainda comprovar laços estreitos com o país.
Para os cidadãos bra…

O que significa estar bem integrado na Suíça??

Em 1970 o parlamento suíço usa pela primeira vez o termo integração do estrangeiro na sociedade. Mas este tema ainda não tinha a importância que merecia. Definia-se integração como mera assimilação da cultura do estrangeiro.
Dava-se inicio a um longo e complicado processo de discussão sobre o significado da integração do estrangeiro na cultura suíça.

Nos anos 80 e 90 com o aumento da imigração proveniente do terceiro mundo, surge o termo            "sociedade multicultural". Mas logo cai em esquecimento devido a forma superficial que foi tratada.

Com a nova política de integração do Departamento de Migração (BFM) em 2006, dá-se início a uma crítica discussão sobre a problemática da integração de estrangeiros na sociedade.

Desde 2013 o termo integração vem sendo tratado com maior importância, dado a sua imprescendível função perante o processo de imigração.

Não existe uma definição satisfatória e precisa do termo integração na Lei do Estrangeiro suíça.
Mas sim algumas premiss…

Reunião familiar - como trazer meus familiares e filhos para viver na Suíça

O procedimento de reunião familiar na Suíça depende do status do requerente, ou seja, vai depender do visto de residência do estrangeiro.

Levando-se em conta uma legislação complexa e muito heterogênea, deve-se avaliar cada caso individualmente.

O cidadão europeu que pretende trazer seus familiares: cônjuge, filhos  (até 21 anos de idade) ou até mesmo seus pais por exemplo, não tem prazo máximo para requerimento. Mas aconselha-se que este requerimento seja feito dentro dos primeiros cinco anos de vida na Suíça.

O cidadão suíço que pretende trazer seus familiares deve observar o prazo máximo de 5 anos.
Em caso de filhos, enteados ou filhos adotivos menores de 18 anos prazo é o seguinte:

- crianças com até 12 anos de idade - 5 anos de prazo para efetuar o requerimento
- crianças com mais de 12 anos de idade - 1 ano de prazo para efetuar o requerimento

Para todos os outros países, como o Brasil os prazos também são restritos a 5 anos. Valendo para os menores de 18 anos o seguinte:

- cri…

Tipos de vistos para viver e trabalhar na Suíça

O sistema de concessão de vistos na Suíça é dual, ou seja, dividido em dois grupos:

1. vistos concedidos aos cidadãos europeus
2. vistos concedidos aos cidadãos dos países que não pertencem a comunidade européia

O Acordo de Livre Circulação de Pessoas feito entre a Suíça e a Comunidade Européia regula a concessão de vistos dos europeus.

A Lei de Estrangeiros regula a concessão de vistos aos cidadãos de todos os outros países fora da Comunidade Européia.

Portanto no caso dos brasileiros, os vistos são regulados através da Lei do Estrangeiro (Ausländergesetz) e no caso dos portugueses determinado pelo Acordo de Livre Circulação de Pessoas (Freizugigkeitsabkommen).

Tipos de vistos para cidadão europeu

1.Visto para turista:
o cidadão europeu não necessita de visto para permanecer a passeio no país por até 90 dias. Basta apresentar um passaporte válido.

2.Visto de trabalho:
Este é acoplado a um contrato de trabalho.
Caso o contrato tenha a duração entre 3 meses e um ano, requere-se o …

Tipos de vistos na Suíça

O sistema de concessão de vistos na Suíça é dual, ou seja, dividido em dois grupos:

1. vistos concedidos aos cidadãos europeus
2. vistos concedidos aos cidadãos dos países que não pertencem a comunidade européia

O Acordo de Livre Circulação de Pessoas feito entre a Suíça e a Comunidade Européia regula a concessão de vistos dos europeus.

A Lei de Estrangeiros regula a concessão de vistos aos cidadãos de todos os outros países fora da Comunidade Européia.

Portanto no caso dos brasileiros, os vistos são regulados através da Lei do Estrangeiro (Ausländergesetz) e no caso dos portugueses determinado pelo Acordo de Livre Circulação de Pessoas (Freizugigkeitsabkommen).

Tipos de vistos para cidadão europeu

1.Visto para turista:
o cidadão europeu não necessita de visto para permanecer a passeio no país por até 90 dias. Basta apresentar um passaporte válido.

2.Visto de trabalho:
Este é acoplado a um contrato de trabalho.
Caso o contrato tenha a duração entre 3 meses e um ano, requere-se o visto …